terça-feira, 31 de julho de 2012

4Kids Entertainment- Saiba do seu processo e de seu futuro


Se você costumava assistir animes com dublagem em inglês, chances são que você, pelo menos uma vez na vida, viu uma dublagem da 4Kids. Ultimate Muscle(ou Kinnikuman, no japonês. No Brasil conhecido como Músculo Total), Dragon Ball Kai, One Piece, Pokemon, Sonic X, Shaman King e Yu-Gi-Oh são alguns dos notórios exemplos das franquias que ela arruinou dublou para o idioma americano, mas claro, ela não ficou limitada apenas à isso, mas também com o licenciamento de linhas de brinquedos e jogos dessas séries.

No começo, o intuito da 4Kids era simplesmente concorrer com outras empresas de dublagem e localização de animes, em especial com a Viz Media (Naruto, Bleach, Inuyasha, Vampire Knight) e a Nelvana (Sakura Card Captors, Beyblade, Medabots, Bakugan). Entretanto, apesar de todas essas empresas terem suas próprias "técnicas" de localização de animes, uma vez que, segundo eles mesmos, "as crianças americanas devem assistir programas de televisão de acordo com a sua cultura", modificação de frases impróprias, cortes em cenas de nudez parcial e batalhas sangrentas são frequentemente cortadas. Mesmo assim, a 4Kids foi além...

Edição dos nomes originais em japonês, mudança na trilha sonora, mudança de escritos em livros, roupas e lojas, mudança de expressões "muito exageradas", edição de armas, bebidas e cigarros por coisas bem mais infantis (literalmente, como substituir arroz por biscoitos...what?), censura de cenas com sangue ou envolvendo explosivos e até mesmo a edição da cor dos personagens. Se esse último tem nome, é racismo.

4Kids: ensinando as meninas a não serem piriguetes desde 1992.



...Ele tá apontando pro teto?

Agora a coisa ficou preta... quero dizer, branca...
Enquanto o resto das empresas só cortavam/modificavam cenas quando muito necessário, nem preciso dizer que a "localização" da 4Kids foi um tanto além da conta. Apesar do fato, a empresa alegou que essas mudanças deveriam ser feitas devido ao horário e à audiência que os programas eram focados, e de certa forma acabou se safando de grande parte das penalidades legais, uma vez que as empresas originais continuavam ganhando dinheiro com isso.

Por incrível que pareça, o processo da 4Kids não teve envolvimento (pelo menos não diretamente) com isso. No ano passado, a TV Tokyo (emissora de tv principal na emissão de animes no Japão) e a NAS (Nihon Ad Systems, uma produtora de animes e empresa que cuida da comercialização de produtos baseados nessas séries) processou a 4Kids alegando que esta fazia acordos com outras empresas para que ela pudesse comercializar produtos da franquia YuGiOh, para assim arrecadar os royalties sem pagar uma parcela para a TV Tokyo. Depois de também colocar mais algumas falhas de longa data e a 4Kids revidar com o que pode, o final da história foi que a 4Kids ficou devendo 4,8 milhões de dólares para essas empresas, mas que acababou por fazer um acordo com elas para continuar a ter os direitos exclusivos de comercialização da série em todo o território global, menos a Ásia, e ainda recebendo de lambuja 8 milhões de dólares por parte da acusasão "indevida e questionável" por parte da TV Tokyo e da NAS.

A saga continua, mas não por muito tempo.
Sim, a 4Kids realmente preencheu uma proteção de falência nesse meio tempo, o que deu tempo (e dinheiro, devido ao ganho dela) para eles tentarem mudar seus próximos planos e licenciamentos de novas franquias de anime, além de também manter os direitos para as suas séries originais. Mas mesmo tendo ganho dela nesse processo, o fim da 4Kids está próximo. A empresa está tendo muito prejuízo ultimamente, devido à baixa audiência de seus programas nos EUA, baixos números de vendas de produtos e também um pouco por estar envolvida nesse processo todo. Pelo bem ou pelo mal, os próximos anos poderão ser os últimos para ela.

A TV Tokyo já tem interessados pela franquia, e tão logo o contrato com a 4Kids acabar, pode ter certeza que vão tirar essa exclusividade deles. Daí, as coisas vão ficar ainda piores com o grande corte na sua linha de brinquedos comercializáveis, e isso se não afetar outras franquias de anime que ela roda até hoje e os horários reservados para ela nos canais de televisão americanos.

"O que isso influencia no Brasil?"
Quase nada. Eu nunca vi nem Yu-Gi-Oh 5Ds na tv aberta daqui, quanto menos Zexal. Além da tv aberta já não mostrar quase nada de anime, a tv fechada vai continuar com o que está, no máximo colocando umas séries novas de cartoons para o público pré-adolescente. Se você só vê anime em japonês e legendado, seja por fansubs ou por empresas oficiais de qualidade, nada vai mudar pra você. Se você assiste dublado, vai perceber uma boa melhora daqui pra frente. Só isso.


Bom gente, meio nada a ver o post de hoje, mas que sirva como lição na sua vida profissional... se for processar, processe direito!
(e evite animes dublados, pelo bem de seus ouvidos e olhos ^^')

Até mais!
Out.

domingo, 29 de julho de 2012

Novo vídeo promocional de Little Busters!


Fãs de plantão, uma boa notícia para vocês: mais um vídeo promocional de Little Busters! foi postado no canal do Youtube da Warner Bros. Anime. O vídeo de 100 segundos basicamente dá um exemplo de como será a animação usada para o anime e o visual oficial deles.

Vamos ver o vídeo juntos:


Eu não conheço muito bem a série, tenho que confessar, mas os visuais  dos personagens estão bem feitos mesmo. A animação é bem fluente e o design dos personagens foram mesmo mantidos (óbvio, o Na-Ga, que fez o design do jogo original, fez os moldes para a JCStaff usar em sua animação). O foco foi mesmo investir em visuais claros e poucos efeitos 3D nos gráficos, o que diria que está sendo o padrão de animação da JC, como usado em Arcana Famiglia.

Muitas dúvidas ainda restam para os fãs. Será que a dublagem vai ser boa? Será que a trilha sonora realmente vai ser fiél ao jogo original? Como que eles vão fazer a história? Será que vai ter censura? Será que a animação vai ser desse jeito mesmo? Será que o final vai ser igual?

Tudo isso ainda é um mistério, mas se fosse pra especular, eu diria:

 - Sim, porque os dubladores serão, na maioria, os mesmos, e os que entrarão já são experientes. Apesar de que vai ter que contentar com vozes sem ser do jogo original (e Riki tendo mulher como dubladora)
 - Mais ou menos. Eu estranhei a música de abertura do vídeo, mas se as músicas instrumentais se manterem, ou no máximo mudar o ritmo, daí tá beleza.
 - *Como* vai ser meio difícil por causa de como é narrada a história na novel, mas eu acho que eles devem inventar alguma coisa como "aquilo foi um sonho", ou ir apenas no começo da rota de cada personagem, e no final, mandar tudo de uma vez pras costas do Riki.
 - Olha... não me matem, mas eu acho que vai ter censura sim. Eu tive essa sensação vendo o vídeo, agora o porquê eu não sei.
 - Claro que... bom, depende. As partes que ficam em câmera lenta e a parte da Rin e da Komari com a câmera girando em 3D raramente serão vistas, pois são cenas trabalhosas para se usar a todo momento. Agora, a cena inicial do pessoal quando criança correndo e das partes com menos movimento, pode ter certeza que vai ser daquele jeito mesmo.
 - Se o final não for igual, eu vou chamar todos os fã-clubes de Little Busters da América pra tacar fogo na JC Staff... porque se não mostrar o true ending no final do anime, vai ficar muita coisa sem resposta. Por isso que eu acho que será igual sim.


No geral, eu fiquei feliz com o que a JC está fazendo para o anime. Ainda tem gente de "Mimimi, a Kyoto Animation faria melhor" ou "Mimimi a Kud tá muito loira pro meu gosto" ou "Mimimi tiraram a Sasami do vídeo"...pô, o anime nem saiu ainda! Dêem uma chance pro pessoal, espere lançar o anime, depois entre com as suas críticas. Aposto que quem lê os emails enviados pra JC já tá careca de saber que o trabalho deles tem que sair impecável para honrar o título do jogo, fora que depois do que ocorreu com a Toei, eu duvido que a Key seria idiota o suficiente pra cair no mesmo truque duas vezes.

O anime de Little Busters fará parte da temporada de Outubro de animes no Japão. Não há notícias se o anime passará em algum live stream oficial por enquanto. Para futuras informações oficiais, fique ligado no site oficial do anime:


Vou ficando por aqui agora.

Tenham um ótimo domingo!
Out.

sábado, 28 de julho de 2012

Trailer de novo Final Fantasy XIV, PVs de Fate/Extra CCC e Kud Wafter indo para o PSP!


Eu avisei que teríamos notícias, não avisei? Agora aguentem a leva de notícias relevantes e fodas (ou não):


Lembra do fracasso que Final Fantasy XIV foi? Interface horrível, limite de quests, menus confusos, falta de variedade, e por fim uma falta tremenda de gente online no jogo em questão de pouco mais de um ano, tudo isso mascarado por visuais bonitinhos e o nome de uma das franquias de RPG mais clássicas que sobrevive até hoje. Mesmo assim, a Square-Enix (dos mesmos criadores de Just Cause e da franquia Deus Ex) decidiu dar um reboot ao seu jogo de 2010, prometendo visuais melhores, menus descomplicados, foco para maior relacionamento social entre jogadores e mais uma história diferente para o mundo do jogo.

Apesar de detalhes não serem revelados nem mesmo no site oficial, Final Fantasy XIV: A Realm Reborn será lançado para PC e PS3, provavelmente em inglês também.


Sim, se o PSVita vai ter um jogo da franquia Fate/, por quê que o PSP iria ficar de fora? Desta vez, não será um rerelease do jogo original como Réalta Nua foi para PS2 (e que também foi levado para o PC, separado por capítulos, e que será lançado para PSVita em novembro), este jogo será um jogo original.

Para quem já jogou o jogo anterior, Fate/Extra, disponível em inglês e exclusivo para PSP, a história do novo jogo segue o mesmo estilo.... COM A ADIÇÃO DO GILGAMESH FTW!!!
Caso não conheça o jogo, basicamente se trata de uma nova guerra do santo graal, mas em um universo paralelo, onde algumas pessoas dignas de serem mestre devem sobreviver a um teste para ganhar o seu servo (na verdade tem um roteiro bem estranho, que você tem que desconfiar da realidade e tudo, mas basicamente é isso). Após chegar em um bom número de mestres, você participa de algo semelhante a um RPG dentro de sua escola, onde há NPCs para vender items e aumentar as habilidades de seu servo, e enquanto você deve obter informações para chegar à identidade verdadeira do servo do mestre oponente, tem uma área que você entra para ganhar experiência e aumentar o nível do seu servo matando outros inimigos.

Realmente só espero que neste novo jogo consertem o "sistema de RPG por sorte" e que seja menos entediante que o primeiro foi, pois só a história segurou o jogo para mim... sim, eu zerei o jogo mesmo assim com a Archer... e não, ainda assim achei um pior jogo que as primeiras 2 horas de Fate/Stay Night original.

Fate/Extra CCC será um título exclusivo para PSP e lançará dia 21 de Fevereiro de 2013, e a versão especial do jogo contará com um figma da Saber em um vestido de noiva, que tá bonito mesmo. Não há notícias sobre a localização do jogo para o idioma americano, mas creio eu que não demore tanto pelo número de fãs do gênero que irão encher o saco de empresas de tradução comerciais.

Para de olhar pra ela!! Para!! Agora!!!......Ah, eu num consigo! Wafuu-!
Pra fechar, Kud Wafter, o fandisc de Little Busters!, da Key (mesma produtora de Clannad, Kanon, Air, e do jogo que traduzimos, Planetarian) será lançado para PSP com o subtítulo Converted Edition, que adicionará novas cenas, CGs, a habilidade de importar a trilha sonora para o memory Stick do PSP e também a possibilidade de tirar fotos do jogo.

Felizmente ou não, é 99,9% de chance do port para PSP do jogo ser uma versão All-Ages, primeiro porque desconheço de VNs de PSP que seja 18+ (no máximo 17+ mesmo), e segundo devido à ênfase que a empresa está dando para jogos desta categoria (o chamado CERO A, no sistema de avaliação de jogos japoneses) após o relançamento dos jogos como Memorial Edition... fazer o quê, né...

A história do Converted Edition também não é lá muito nova, pois Little Busters! já teve esse subtítulo para os seus ports para PS2 e PSP (e futuramente PSVita, como anunciado algum tempo atrás), em que adicionava mais cenários para o jogo e a Tokido Saya, antes exclusiva para a versão Ecstasy do jogo. Vamos ver se a moda pega com Rewrite futuramente.

Kud Wafter Converted Edition será exclusivo para PSP, mas não possui data fixa de lançamento ainda, apesar da Key sugerir que o port será lançado ainda neste ano.


Bom pessoal, por hoje chega.

Até a próxima!
Out.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Análise do filme - K-ON! O Filme



O filme de K-ON também passou faz pouco tempo... e isso pede uma análise!


Vamos primeiro falar do filme. O filme de K-ON é feito pela Kyoto Animation (mesma do anime original, Clannad, Full Metal Panic!, Inuyasha e Lucky Star) e reproduzida pelo canal de televisão TBS, a Tokyo Broadcasting System. A história é bem simplória, e conta da viagem de formatura do clube de música leve das personagens principais, as guitaristas Yui e Azusa, a baixista Mio, a baterista Ritsu e a tecladista Tsumugi, e ao mesmo tempo, pensam em dar um presente para a Azusa, que ainda está no segundo ano do ensino médio (e mesmo assim vai com elas, depois de tanta insistência de suas amigas). Depois de muita confusão para decidir, elas vão para Londres... e basicamente você acompanha o que elas fazem lá.

Sobre o visual do anime, está na mesma qualidade que você espera da Kyoto. Animações fluentes, toques de 3D em vários momentos, cores bem vibrantes e traços simples, porém bem coloridos. Os gráficos são bonitos sim, mas não há muito o que falar além desses adjetivos. Próximo...


A trilha sonora, como é de se esperar de animes musicais como este, é estupendo. Apesar das músicas todas serem retiradas das duas temporadas do anime (se não me engano apenas com exceção da primeira e da música dedicada para a Azusa), as escolhas foram bem cautelosas, mas como faz muito tempo que não ouvia K-ON, eu apenas reconheci Fuwa Fuwa Time e Curry Before Rice. No total, temos 9 músicas da banda tocadas no filme inteiro, sendo que Fuwa Fuwa Time se repete nos créditos finais. Os efeitos sonoros também são de alta qualidade, tanto nos momentos sem-noção que a série é famosa quanto na música de fundo (que não são baseadas nas músicas), o que liga a sua atenção para o filme, e se tiver um bom par de fones de ouvido ou, se for mais sortudo, um mini-home teather, você realmente se sentirá em Londres.

A dublagem foi, realmente, uma das coisas que me impressionou. Apesar de todas as dubladoras do anime original estarem presentes e a dublagem estar na mesma qualidade vista nos animes (o que já é excelente, diga-se de passagem), a dublagem dos figurantes que aparecem na Inglaterra são impecáveis. Ao invés de terem dubladores japoneses imitando sotaque em inglês britânico, eles realmente se deram o luxo de contratar dubladores (ou, no mínimo, alguém nascido de lá) para dublar esses poucos personagens. Realmente foi uma coisa que me surpreendeu, pois não são apenas uma frase ou outra dita, mas várias frases e por pessoas diferentes ainda.

A história, infelizmente, não tem como eu não descontar nada, pois, assim como no anime normal, a história é praticamente inexistente. Na primeira temporada, havia a "desculpa" que aquilo tudo era pra, no futuro, fazer show no Budokan (acho que era esse o nome), mas aqui a história é a ida para Londres... e não, não acontece nada de mais lá, como você já deve ter imaginado.

E, claro, como no anime original, tem um merchandising ferrado no filme inteiro. Apesar do anime a grande parte do merchan ser as marcas dos instrumentos, aqui a coisa evolui muito. Além das marcas dos instrumentos mudarem (no caso das baterias e do teclado), também tem merchandising bem descarados como a Japan Airlines (sim, é uma empresa de verdade), a rede de hotéis Ibis e linhas de metrô britânicas. Eu só imagino o tanto de dinheiro que eles ganharam só nesses anúncios subliminares...


No geral, a qualidade do anime é muito boa, tanto nos visuais quanto na dublagem e quanto a trilha sonora. É aqui que eu deveria reclamar da história simples demais e sem objetivo mas... pra falar a verdade... será que isso importa? Esse filme me fez lembrar que um anime/filme na verdade não precisam de uma boa história para serem bons. O filme tem cerca de 90 minutos, mais aquele tempinho chato antes de começar o filme e os créditos, mas de qualquer jeito, tirando os últimos 10~15 minutos do filme que fica algo meio clichê e sem piadas boas para animar o ritmo, eu tenho que confessar que eu gostei do filme. Ele quase me fez rever a segunda temporada de K-ON pra ver se eu me lembrava das músicas e de alguns personagens que eu havia esquecido, e olha que eu não sou de repetir animes, quanto menos animes nonsense.

Nota final: 7,0/10,0

Se você quer dar algumas risadas e apenas deixar os seus olhos te guiarem junto com a viagem das meninas do grupo, eu realmente recomendo esse filme. Do contrário, passe reto.


Bom, o post demorou hoje, mas amanhã teremos mais notícias e uma coisa bem legal para anunciar no blog. Mal posso esperar!

Até lá!
Out.





quarta-feira, 25 de julho de 2012

Análise de anime [1] - AKB0048


AKB0048 acabou faz pouco tempo, mas...ah, eu gostei tanto o anime que decidi assistir tudo o que faltava pra terminar em dois dias pra poder postar essa análise pra vocês. Sim, estou disposto a fazer análise de qualquer coisa que eu gostar, não só mangás e jogos como eu já postei antes.

Vamos começar então!

Primeiramente, um pouco sobre o anime em si. AKB0048 é um anime que lançou no final de abril desse ano e foi produzida pela Satelight (Air Gear, Hellsing Ultimate, Macross Frontier, Shugo Chara!) e de uma equipe própria para este anime apenas, a AKB0048 Production Comittee. O anime conta a história de 4 meninas, Nagisa, Orine, Yuuka e Chieri, que viviam num planeta onde o entretenimento era proibido. Elas secretamente fogem de casa um dia para assistir ao show de uma banda que vão até os planetas onde há tal proibição para agradar os fãs: a AKB0048. Elas se maravilham com o espetáculo, e daí em diante, sempre sonharam em estar um dia lá, dançando e cantando no palco para os fãs. Mais tarde, quando elas crescem, eles conseguem ver que esta banda está recrutando novos membros para a 77ª geração de ídolos dela, e assim decidem treinar o máximo que podem para ter uma chance para entrar para a banda que elas tanto adoram, mesmo diante de tantos obstáculos para conseguir este feito, e muitos outros desafios e rotinas que esses ídolos devem enfrentar todos os dias.

O anime possui 13 episódios e eu gosto de dividí-los em 3 partes: a parte inicial, onde elas tentam o máximo que podem para prestar as audições para a banda, a saga aprendiz, onde elas se tornam "unders" (uma espécie de substitutos e auxiliadores da geração atual), mostrando a rotina delas (e mais umas amigas que elas fazem depois) e dos ídolos ao fazerem shows e demais eventos, que vai até o show em Tundastar, e a saga Center Nova, que vai da sessão de fotos de Atamistar até o final do anime.

Sobre a animação das personagens, tem a animação normal, predominante do anime, e as animações em 3D, que são em alguns trechos das apresentações/ treinos e quando aparecem as batalhas entre eles e a DES (uma organização militar contra o entretenimento). A animação "padrão" da novel não é lá um colírio para os olhos, mas alguns detalhes são bem interessantes, como o brilho em formato de coração na cabeça e nos olhos das personagens, fora isso não é algo tão impressionante, e algumas vezes até desafia a lógica e a física (como no primeiro episódio quando a Nagisa vai entrar pro avião) e alguns lip-sync totalmente errados. As animações em 3D por outro lado são, por incrível que pareça, bem feitas. Os efeitos de sombra e luz são muito bons e as cores usadas dão um ar... não sei como explicar direito mas se mistura bem com o cenário.

A trilha sonora, por outro lado, já é bem diferente. O anime é baseado numa banda J-Pop de verdade no Japão, a AKB48, e a trilha sonora contém as músicas de maior sucesso delas como Ii Wake Maybe, Beginner, Heavy Rotation, River, Aitakatta e tantas outras. Eu, que não conhecia nada do grupo, me tornei um fã instantâneo do grupo, e não me arrependo, mesmo que só para aproveitar as músicas do grupo (apesar de ter que concordar que o resto das músicas delas não são tão impressionantes assim). O restante da trilha sonora do anime são basicamente versões sem vocal das músicas que elas cantam, mas com instrumentos diferentes e mais lentas. O mais interessante que eu achei do anime foi o fato que as músicas que elas cantam se encaixam perfeitamente na história ou na cena, mas não simplesmente "música triste para momentos tristes", mas músicas que basicamente resumem o que as personagens estão passando e suas conclusões, o que eu achei uma jogada brilhante das produtoras.


Sobre a dublagem, esse foi um ponto muito debatido por quem assistiu o anime, dizendo que a dublagem foi porcamente feita, falta de profissionalismo, e tantas outras críticas. Eu, pessoalmente, mando esses caras irem pra ponte que partiu. Primeiro, as dubladoras do anime são membros de verdade do AKB48, e com isso não tem absolutamente nenhuma experiência com dublagens, eles mesmo admitem isso no vídeo promocional. Segundo, a dublagem é bem feita sim. Talvez não perfeita por causa da bipolaridade da Chieri e algumas mudanças de vozes da Suzuko em algumas cenas, mas é bom sim. Se você quer dublagem péssima, assista Marimo no Hana, e depois compara com esse anime... (se bem que Marimo no Hana também contou com membros do AKB48 na dublagem...)

 Uma coisa bem curiosa com relação ao anime é a sua semelhança incrível com Idolm@ster, tanto por serem animes baseados em bandas, terem muitas músicas no decorrer do jogo e a animação das cantoras, mas por incrível que pareça, Idolm@ster é da A-1 Pictures (Sword Art Online, Ao no Exorcist, Fairy Tail, Working!!), ou seja, das duas uma: ou AKB0048 desenvolveu seu próprio software de animação em 3D, ou é logo logo que irão processar a empresa por plágio... o que acho que não será o caso. Eu...nunca vi Idolm@ster, mas pelo que eu pesquisei, o que o anime mais parece é Idolm@ster Xenoglossia, e que até mecha tem no anime...igual AKB0048, o que eu gostei até.

Sobre as disposições gerais quanto a história, não tem muito segredo. O anime é um misto de musical com mechas, onde retrata a parte musical nos ensaios e shows e a parte de mechas nas batalhas contra o exército anti-entretenimento. O que achei bem legal foi que o anime retrata bem o modelo de vida dos ídolos de AKB0048, como treinos e shows frequentes em lugares diferentes, sessão de fotos, produção de vídeos promocionais, eventos de aperto de mãos, os fã-clubes e até mesmo os haters do grupo e o sistema de geração, que é algo que ocorre de verdade no grupo na vida real.


Resumindo, a animação e a dublagem não são lá as mais perfeitas que existem nos padrões de hoje, mas a trilha sonora empolgante junto com a história, que apesar de confusa fará você dar risada e se preocupar com as personagens, faz você se esquecer de tudo isso. Mesmo não tendo 100% das explicações de tudo que ocorre no anime, a produtora prometeu esclarecer possíveis dúvidas, além de uma continuação da história original junto com melhorias gerais, no ano que vem, quando lançar a segunda temporada do anime.

Nota Final: 8,0/10

Eu recomendo assistir o anime, que seja os dois primeiros episódios. Se gostar, continue assistindo que não se arrependerá. Do contrário, melhor não forçar pois o ritmo do anime só conta com grandes reviravoltas no episódio 7 se não me engano, quando rola todo o papo da sucessão da Takamina, e nos últimos 3 episódios, que tem toda aquela coisa de Center Nova e de Kiraras que se multiplicam, o que até agora eu não entendi.


Bem, isso é tudo por enquanto. Até o próximo post pessoal!
Out.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Filme de Madoka Magica e Milky Holmes 2 chegando para PSP!


Eu sei (espero) que todos estão felizes com a tradução do nosso grupo, mas vamos a algumas notícias para isso aqui não ficar muito parado.


Primeiro, uma boa notícias para os fãs da série Mahou Shoujo Madoka Magica: este é o primeiro vídeo promocional do filme que está por vir! E boas notícias também para as pessoas que não querer assistir 12 episódios da série, pois o filme é exatamente um resumo do anime, com novas cenas e animações.

Isso aí já não é tanta novidade, pois é até normal séries de sucesso lançarem filmes super resumidos da série original, às vezes para dar uma melhorada na animação. As produtoras originais do anime, a Madoka Partners e a Nitroplus, também farão parte da produção do filme. Foi confirmado que ainda haverá mais dois filmes da série a serem lançados, sendo o último exclusivo para a história da série, mas nada mais foi esclarecido.

O filme terá sua estréia no Japão dia 6 de Outubro, e já no dia 13 de Outubro o segundo filme será lançado, dando continuidade ao resumo da série do primeiro filme.


Ah...como é bom ouvir uma música com Masaaki Endoh

E agora, boas notícias pra quem tem um PSP ainda na ativa, é fã de jogos no estilo Phoenix Wright (ou mesmo do primeiro jogo) e sabe um pouco de japonês: Tantei Opera Milky Holmes 2 está bem perto de seu lançamento, e como se para comemorarem, eles lançaram a segunda abertura do jogo (sim, o primeiro jogo também teve duas aberturas).

A história do segundo jogo é bem parecido com a do primeiro, onde o grupo de detetives Milky Holmes, composto pela Sherlock, Cordelia, Hercule e Neru, se esforçam para prender os "Ladrões Fantasmas", e a sua líder Arsene, resolvendo os casos de roubos e os perseguindo, com a ajuda de seus "Toys", que são poderes especiais de cada personagem. Nesse segundo jogo, há a adição de mais uma garota para o grupo (que creio eu que seja a personagem principal da vez, entrando no lugar do Kobayashi), o que pode se tornar interessante.

O jogo será lançado exclusivamente para PSP, apenas em japonês, dia 23 de Agosto.

Essas são as notícias de hoje. Até a próxima pessoal!
Out.

sábado, 21 de julho de 2012

Lançamentos e jogos para ficar de Olho! [4]


Faz um bom tempo que não faço um post desses e olha que estou de férias hein... é, é a lógica da preguiça xP
Mas vamos largar a mão disso e partir para o que interessa! Out, os jogos que já lançaram e o que ainda podemos esperar por vir!

Hatsukoi 1/1



Pode parecer um jogo bem desconhecido, já que a sua produtora, Tone Works, se iniciou com esse jogo. Entretanto, não deixe as primeiras impressões enganarem, pois esse título é publicado pela Visual Arts (que à propósito comemora seus 20 anos de existência com esse título), a mesma que distribui os jogos da Key, o que é um nome de peso.


A história em si é bem simples. O personagem principal da história, Yuuma, é um estudante do segundo ano do ensino médio e nunca soube o que é o amor, pois nunca conseguiu progredir com a sua amiga de infância, nem o seu amor secreto. Um dia, essa pessoa, que é do comitê de melhoramento da cantina, estava preocupada por ter poucos membros em seu comitê. Ao entrar para ele, Yuuma se encontra em uma situação bem melhor do que antes, onde ele é rodeado de meninas a sua volta, o que faz a chance perfeita para nascer o seu primeiro amor.

A história é bem clichê sim, mas a arte das personagens (em especial os olhos delas) têm um nível de detalhe impressionante e cativante, o que vale a pena dar uma conferida. O jogo lançou no final do ano passado, exclusivamente para PC, e para quem estiver interessado, o mesmo está à venda na Jlist na sua edição especial por 118 dólares (*risada maléfica*) e conta com um artbook de 50 páginas e mais algumas coisinhas a mais (...pois é, se tivesse um drama CD dentro ou um CD da trilha sonora eles já teriam avisado ao invés de colocar só "e mais algumas coisas"...)


Rewrite: Harvest Festa



Vocês todos já devem estar carecas de saber, mas é, o fandisk do último jogo da Key está apenas a uma semana de ser lançado. Retratando os eventos após o jogo original e uma renca de cenas e CGs que os fãs irão se babar todo (...bom, nos seus devidos limites, já que ainda é um fandisk all-ages ^^), o fandisk mostra trocentas cenas com todas as heroínas do jogo original, com direito a encontros, personagens em bikínis e até cenas de beijo entre os personagens. Se fosse para chutar, apostaria que este jogo só lançou como um aperitivo até o próximo jogo da Key, que permanece um mistério até agora, mas que seja, o jogo está aí e a qualidade está a mesma que você espera da Key!

O jogo, como era de se esperar, será lançado apenas em japonês, pelo menos oficialmente, e é exclusivo para PC. Entretanto, se você não consegue se segurar para ver o jogo, eu coloquei um vídeo dos primeiros 12~13 minutos de jogo legendado em inglês. Só não esqueça de ligar as legendas no vídeo... e ah, se você não quer ver spoilers, assista a partir dos 3 minutos do vídeo (y).


Data de lançamento: 26/07/2012

Guilty Crown: Lost Christmas



A prequel da grande série de animes Guilty Crown está bem pertinho. O jogo se passa 10 anos antes do anime, onde um projeto experimental de codinome "Scrooge" conseguiu escapar do laboratório em que estava confinado. Durante a sua fuga, ela se encontra com uma garota, Carol, que também foi um projeto experimental pelo mesmo laboratório. Esta garota, no entanto, despertaria um poder oculto em Scrooge. Assim, cabe a ele descobrir o porquê de sua criação, e ao mesmo tempo, se livrar de seus perseguidores, que querem acabar com Scrooge não importa como.

O enredo é bom, apesar de confuso, mas por ser um jogo da Nitroplus (uma das empresas de visual novels favoritas, tanto pela qualidade de seus títulos quanto pelo número deles), acho que dá pra perdoar.

Data de lançamento: 26/07/2012 (PC)

Chou Dengeki Stryker



O título que provavelmente fez os fãs da Overdrive (eu) se enfurecer. Mesmo há pouco mais de um mês a MangaGamer ter lançado Dengeki Stryker em inglês, a Overdrive conseguiu fazer os fãs do jogo babarem de novo com o anúncio de Chou Dengeki Stryker. Apesar de, em sua raiz, ser o mesmo jogo, ele está muito melhorado em relação ao anterior, contando com novas rotas, personagens, CGs, HCGs, animação mais fluente dos personagens, novos efeitos especiais, novas músicas e vídeos de abertura e encerramento, músicas exclusivas... ufa... acho que não me esqueci de nada... ah sim, e ainda por cima os compradores do jogo original poderão, com uma generosa taxa, atualizar os seus jogos para a versão mais nova, o que a MangaGamer nem sabe se vai anunciar ou não devido aos seus tantos projetos neste ano.

Eu ainda não completei Dengeki Stryker, mas a história, os personagens e as cenas do jogo são incrivelmente bem feitas, engraçadas quando devem ser, e empolgante durante a maioria do jogo.

(Ah, se não colocarem rota com a Rin, cabeças vão rolar...)

Data de lançamento: 27/07/2012 (PC)


ef - The First Tale



Vocês também devem estar carecas com esse daí, mas não custa nada relembrar, né? Finalmente, um jogo oficialmente traduzido da Minori para o inglês, graças à parceria da MangaGamer com a No Name Losers, está prestes a ser lançada, daqui a menos de uma semana. A comovente história de triângulo amoroso, com direito a leves animações dos personagens, altíssimo nível de detalhes, e uma magnífica trilha sonora que todos estavam esperando.
(Nossa, quem vê pensa que eu esperei a minha vida por esse jogo xd)

Mas pra falar a verdade, até estou pensando em comprar este jogo... vamos ver, se a MG for esperta o suficiente para lançá-la na Jlist, talvez esse jogo dará o ar da graça do meu armário xP.

Data de lançamento: 26/07/2012 (PC)


Mais jogos para ficar de olho são:

 - Agarest Senki: Marriage > 19/07
 - Dunamis15 (versão para PSP) > 26/07
 - HISTOIRE DE DESTIN > 27/07
 - Faint Tone > 27/07
 - Corpse Party - Sachiko no Ren'ai Yuugi > 02/08
 - Gaku ★ Ou ~It's Heartful Days!!~ > 10/08


E fico por aqui! Tchauzinho!
Out.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Arc System Works e Compile Hearts - Próximos jogos de grandes empresas

Ninguém menos que a Arc System Works (série Blazblue, Guilty Gear, Persona 4 Arena) e a Compile Hearts (Mugen Souls, Record of the Agarest War) decidiram dar uma introdução para os seus novos jogos. O que esperar delas? Você fica sabendo aqui e agora:


O futuro jogo da Arc System Works tem o título de Kyuukousha no Shoujo (A garota do Velho Prédio Escolar, traduzindo ao pé da letra) e será lançado exclusivamente pelo Nintendo 3DS via download. Além de anunciarem o título e os desenhos dos personagens principais do jogo, o site do jogo fala sobre a história, que conta a história de uma garota que deve encontrar pistas para abrir uma porta misteriosa na biblioteca de um prédio escolar abandonado.

Entretanto, detalhes nos personagens, no tipo de jogo, ou mesmo na data de lançamento não foram divulgadas oficialmente. O site de notícias japonesas 4Gamer especula que o jogo será "um jogo de aventura paranormal", mas nada implica que seja de fato um jogo assim. Pelas imagens do jogo no site e na breve introdução ao mesmo, arrisco dizer que o jogo contará com vários quebra-cabeças para você resolver no decorrer do jogo, algo como 999: Nine Hours, Nine Persons, 9 Doors, da Aksys, que é basicamente uma visual novel com puzzles (ou quebra-cabeças, como preferir).

O jogo ainda não tem sinais de que será traduzido para o inglês, mas creio que, como os demais jogos dela, vai vir uma tradução sim. Caso queira ver o site com seus próprios olhos, clique na imagem acima.


Agora, ao título da Compile Hearts, que por coincidência será distribuído pela 5pb (Memories Off, Chaos;Head, Corpse Party). O título se chama Kami Jigen Game Neptune V (seria algo como Jogo da Dimensão dos Deuses Neptunia V. À propósito, o "V" lê-se "victory", ou vitória), um jogo exclusivo para PS3 e que tem muito a cara de Tales Of com meninas que se transformam. O jogo é um RPG de mundo aberto e é a continuação do jogo anterior, Kami Jigen Game Neptune mk.2. Além de novas personagens, o jogo conta com sistemas de coleta de informação, na qual, ao acreditá-la ou não, mudará os status de seu personagem e influenciará na história e na forma final das personagens.

Como opinião pessoal, eu até achei que, no começo, o jogo fosse ser para PSP, devido aos gráficos... bem, não se pode julgar um livro pela capa, há vários jogos com visual não-tão bons e que são extremamente longos, além de serem bem complexos. O jogo parece bom sim, mas... um RPG sem história? Vai entender...

O jogo será lançado dia 30 de Agosto, nas edições normais e limitada, que inclui artbooks das personagens,  figures de 2 personagens do jogo, a trilha sonora do jogo e... um drama CD? (tem uma tradução bem estranha do nome do CD). A edição mega-blaster ultra fuckin foda sai por "míseros" 10.479 ienes, ou aprox. 270 reais, enquanto a edição normal sai por 7.329 ienes, ou aprox. 190 reais.

Bom, por hoje é só. Quem sabe, acho que nesse fim de semana postarei algo diferente por aqui.

Até lá!
Out.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Soul Eater - Primeiras impressões do mangá


Fala galera. Hoje nós teremos uma notícia especial já que chegou o meu mangá de Soul Eater, uma série que eu curtia muito e foi uma das primeiras que eu assisti e que me fez viciar em animes. Essa vai ser minha primeira análise de um mangá, mas vou dar o meu melhor, também por ser fã da série ^^

Vamos começar falando da série em si. Soul Eater é uma série de mangá de Atsushi Ohkubo, que fez alguns mangás antes, mas que ficou mesmo conhecido com esta série. Ela era lançada como one-shots (ou seja, em  capítulos no meio de revistas japonesas, onde é comum ter essas coisas) publicadas pela Square-Enix em 2003 e passou a ser uma série de mangá propriamente dita em 2004, e até a data de hoje, o mangá possui 22 volumes no Japão, 9 nos Estados Unidos, e até agora só um no Brasil, mas a JBC promete trazer até o 19 pra cá em edições mensais e já inclusive disponibilizou a assinatura para o mesmo.

Soul Eater também possui drama CDs, jogos para play2, PSP e Wii e uma adaptação para anime com 51 episódios, que vou falar as diferenças entre o mangá e o anime logo logo.

Sobre a história, inicialmente, ele narra a história de 3 grupos de artesãos (no inglês é "meister", mas foi traduzido no mangá como artífice) e armas, que na verdade são humanos que podem se transformar em uma. Maka Albarn com sua foice Soul Eater, Black★Star e sua anch'i Tsubaki e Death The Kid com suas pistolas-irmãs Paty e Liz Thompson formam o centro das atenções da série, mas mais tarde mais estudantes da Shibusen, a escola onde artífices e armas estudam, e outros professores farão parte da trama. A história não é totalmente clara no primeiro volume do mangá, mas basicamente, essa escola existe para formar Death Scythes (foices da morte), o estágio mais avançado que arma possível, obtido apenas ao absorver 99 almas humanas e 1 alma de bruxa, e para melhorar o desempenho das armas, deve haver uma boa harmonia entre artífice e arma para ambos liberarem seus verdadeiros potenciais.
Sobre o mangá, fisicamente falando, ele é um pouco menor que as séries de mangás shounen tradicionais como Fairy Tail e One Piece, o que seria algo do mesmo tamanho que Sora no Otoshimono e Darker Than Black. A JBC deu um deslize por não colocar o número das páginas de vez em quando no mangá, o que é difícil saber onde se está em determinado capítulo, mas se minhas contas estiverem corretas, temos algo perto de 180 páginas de história e o resto como as páginas de introdução dos capítulos e prefácios e posfácios. O material da capa é mais liso que o normal, mas infelizmente, devido à capa ter fundo branco, qualquer sujeirinha, mesmo sem riscar ou rasgar, vai ser facilmente visível e de difícil remoção... mas de qualquer forma, eu gosto da sensação da capa de mangá em fundo branco. As páginas são todas em preto e branco, o que era de se esperar, e a qualidade é a mesma que a das séries recentes da JBC. O preço está na média, R$10,90, mesmo preço de One Piece atualmente.

Sobre a arte, creio que não posso criticar, já que faz muito tempo que os capítulos do primeiro volume foram publicados, mas de qualquer jeito vou falar o que achei. A arte dos personagens é um tanto simples, sem muitos detalhes, mas que tem o seu charme nas suas expressões que são bem desenhadas. As roupas dos personagens algumas vezes são inconstantes, como no capítulo introdutório da Maka onde o uniforme dela é folgado no corpo e depois vira um uniforme mais justo, mas fora isso, dá pra perceber que a arte vai melhorando a cada capítulo. Os cenários são bem elaborados e criativos e precisa de um pouco de imaginação algumas vezes pra identificar o que é o quê. Quanto às batalhas e aos efeitos especiais... nossa, são simplesmente demais. Além de vários detalhes e a presença de machucados e sangue nos personagens após levar algum golpe, muitas cenas de sequências de golpes ou magias são detalhados a ponto de você imaginar exatamente o que o autor queria que você visse, com vários quadrinhos em sucessão de mostram o movimento dos personagens e suas interações com o cenário. Posso dizer que é um dos melhores que eu já li do gênero. Sem enrolação, engraçado pra caramba (até pra mim, que já assistiu o anime) e com muita ação.

Agora, sobre a tradução do mangá! *tcham tcham tchaaaam
Muita gente fala que a JBC tem mania de mudar alguns termos e tudo mais, mas por incrível que pareça, eu gostei bastante da tradução que fizeram. Eu li nada dos volumes originais e muito pouco dos americanos, mas claro que dá pra perceber que algumas coisas foram adaptadas devido às gírias que tem de vez em quando no mangá, como quando Black★Star fala "Isso foi um trocadalho do carilho!!!" ou quando Death The Kid fala "Que deprê! Morri!", mas que exatamente devido à graça que dá ao ler uma frase como essas no contexto que eu nem me importei tanto com a adaptação. Infelizmente, tem umas que eu não concordo, como traduzir Shinigami-sama como Doutor Morte e deixar artífices ao invés de artesãos, fora o motivo desconhecido por traduzir Shibusen como AMAAN. Tem ainda alguns erros de tradução quanto a acentos e a grafia de uma ou outra palavra (como traduzir "Halloween Cannon" como "Canhão Helloween", e nem é deslize pois ele deixa assim mais de uma vez, e traduzir o nome da Paty (Patrícia) Thompson como Patti Thompson), mas que são poucos e nem vale a pena ficar criticando coisas assim... vida de revisor não é fácil e sei disso pessoalmente. Vamos ver se com algumas críticas eles consertam.

(Quem escreveu a entrada de Soul Eater na Wikipédia merece apanhar... viu pessoal? Nunca confiem na Wikipédia... adaptação fiél o caramba...)
Sobre o mangá em comparação com o anime, eu sabia que tinha uma hora (mais precisamente quando a Medusa se junta ao pessoal para destruir a Aracnofobia) que o anime e o mangá seguem caminhos totalmente diferentes, mas o que me surpreendeu foi o tanto de cenas exclusivas do mangá perto do anime. Além das batalhas mudarem um pouco no seu decorrer, percebi que o anime foi -bem- censurado. O anime mostra um pouco de sangue e nudez de vez em quando, mas não é nada perto do mangá, fora as "adaptações" toscas no anime. Sério. Algumas cenas que dou de exemplo: no arco do Black★Star, na verdade o meio alternativo de conseguir fazer a Death Scythe é comer uma "alma forte", que tem o valor de 99 almas humanas, e essa alma forte seria a alma do Mifune, o guarda-costas da bruxa Angela. Além disso, os capangas do Al Capone aparecem mortos quando Black★Star se encontra com o Mifune, com sangue pra todo lado e com espadas por toda parte, enquanto o anime só mostra as "almas" deles. No arco do Death The Kid, quando ele volta para salvar as suas armas, a cena delas presas nas ataduras das múmias é BEM mais sensual que só aparecer um fiozinho das calcinhas delas. Aliás, tem uma cena do final da batalha contra o professor Sid que foi totalmente cortada do anime (assim como grande parte das cenas semelhantes) que o Black★Star tenta "subornar" o Sid a confessar onde morava o carinha que transformou ele em zumbi levantando a saia da Tsubaki (e acontece mais coisa a partir daí, o que não darei spoilers para despertar sua curiosidade). São cenas assim que são as mais engraçadas do mangá e que foram cortadas, ou severamente censuradas, no anime, o que me deixa até triste por não ter acompanhado o mangá antes... e olha que o mangá é indicado para maiores de 14 anos!

E sabe o pior? O anime foi produzido pela Square-Enix (FullMetal Alchemist, To Aru Majitsu no Index) e TV Tokyo (Bleach, Fairy Tail, Gintama), o que gerou uma excelente adaptação nas cenas de luta e nas músicas que tocam nessas batalhas, mas acabou censurando essas partes... uma verdadeira pena.


Resumindo, a adaptação da JBC teve algumas falhas sim, mas eu a considero uma boa adaptação. Consertando esses deslizes nas traduções, tenho certeza que ela conseguirá mais assinantes e fará um sucesso tremendo frente às franquias concorrentes como Naruto, One Piece e Bleach, da Panini. Para quem se interessou ou mesmo para aqueles que querem começar a ler mangás, recomendo que leiam o primeiro volume, e se gostarem, que comprem a série. Eu não estou ganhando nada divulgando o trabalho da JBC, mas como fã da série e pelo tanto que eu adorei ficar lendo o mangá, ele receberá o meu Selo Jóinha de Aprovação!!

Nota Final: 8,0/10,0                                               (y) ^∇^ (y)


Pessoal, não garanto que teremos tantas análises de mangás aqui no blog, mas caso tenham alguma sugestão quanto às próximas matérias (de preferência se o mangá existir no Brasil, já que odeio ler na internet, mesmo em sites oficiais e licensiados), eu estarei vendo o que posso fazer!

Até a próxima!
Out.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Nova temporada de Seitokai no Ichizon, Hatsune Miku no dia da marinha e novo vídeo de Guilty Crown: Lost Christmas

Sim sim sim! Temos uma leva de notícias hoje e espero que agrade todos os gostos! ^^


Primeiramente, temos o anúncio da nova temporada do anime Seitokai no Ichizon (pode ser traduzido como "A Modéstia do Conselho Estudantil"), que será colocada ao ar em Outubro deste ano no canal de vídeos japonês Nico Nico Douga (www.niconico.jp), e alguns dias depois nos canais de televisão.

Para quem não sabe, Seitokai no Ichizon é um anime bem nonsense (ou seja, praticamente não tem história) que conta as aventuras de um conselho estudantil, tendo presentes um viciado em bishoujo games, a presidente loli e mandona, uma otaku loira e tímida viciada em rpgs, a vice-presidente briguenta e hiperativa e uma secretária extremamente manipuladora e irônica. Tudo isso forma a receita perfeita para todos os tipos de paródias com grandes séries de anime, novels, mangás e outras visual novels, desde as mais explícitas até as mais ocultas.

Além disso, dia 28 de Setembro também será lançado uma versão em Blu-Ray da primeira temporada para compra. A série vale muito a pena e rende altas risadas, especialmente nos primeiros episódios. Estarei esperando ansiosamente!


Em seguida, temos a nova música da Hatsune Miku, Summer Idol, feita com gráficos e animações do próximo jogo dela, Project f, exclusivo para PSVita. A música foi feita em comemoração do dia da marinha japonesa (16/07) e teve ninguém menos que a OSTER Project como compositor, dos mesmos compositores das músicas Koisuru Voc@loid, Miracle Paint, Ame Nochi Sweet Drops e Trick and Treat.

Relembrando que Hatsune Miku - Project Diva f, tem data de lançamento para dia 30 de Agosto, nas versões físicas e para download. Para a alegria de todos que têm um PSVita, já que ele é region free.


E encerrando, temos o terceiro vídeo promocional da visual novel Guilty Crown: Lost Christmas, uma prequel da série de anime original, Guilty Crown, que está sendo desenvolvida por ninguém menos que a Nitroplus, produtora de jogos fantásticos como Saya no Uta, Hanachirasu, Demonbane, Chaos;Head e Steins;Gate. O jogo tem previsão de lançamento para dia 26 deste mês, pouco mais de uma semana apenas, e apesar do PV não esclarecer muita coisa sobre o gameplay, da história e dos personagens, a música e os trechos de animação são bem promisores.

Vale lembrar que o jogo, exclusivo para computador por enquanto, virá com um OVA de 12 minutos, para dar a "entrada" à história do jogo, o que é bem legal.


Bem pessoal, o post acaba por aqui. Deixa eu ir trabalhar um pouco pra não perder o costume e mais tarde postarei mais notícias e matérias aqui no blog.

Até lá!
Out.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Anime Friends 2012 - O que eu comprei e algumas fotos!

Eu queria fazer um vídeo mostrando o que eu tinha comprado, mas não deu muito certo. Agora, como blogger e para dar uma noção do que comprar nas próximas edições do evento, um pouco do que eu comprei lá.

Aqui você tem uma vista de tudo...é pouco, mas é bão.
Começando pelos mangás, que com toda certeza era o que mais valia a pena em comprar, não só por ter um monte de séries, tanto as atuais quanto as que já acabaram, mas também pelo preço já que a maioria das coisas tinham algum tipo de desconto. Tudo que eu comprei foi da Comix, simplesmente o maior estande (loja?) que tinha lá, que além de mangás e revistas vendia DVDs, cartas, dados de RPG, figures e mais uma pá de coisa. Minhas aquisições foram as séries Summer Wars, cujo mangá é baseado no filme e que teve várias críticas positivas, e Code Geass: O Pesadelo de Nunnally, pra eu tomar vergonha na cara e conhecer a série, que até agora não vi nada. Além disso, comprei o volume 36 de One Piece, já que eu tinha perdido a chance de comprar nas bancas e estava mais barato, e os volumes 3 e 4 de Sora no Otoshimono que eu decidi acompanhar quando a loja estava fechando (na verdade eu queria comprar os dois primeiros volumes, mas como tinha acabado, comprei o que deu...nem no site não tem o volume 1 da série para encomendar T.T). 

Os mangás que comprei xD
Depois, vem a minha camiseta de Fate/Zero, que eu simplesmente tinha que comprar, não só pelo preço, mas por causa do quanto eu adorei a série. "Mas Out, você tinha dito que não gostava de Fate/Stay Night..." pois é, pior que eu detestei tanto que assisti uns 3 episódios só. A questão é que, depois de muita reluta, uma amiga me convenceu a assistir a série... e não me arrependo nem um pouco. A série foi feita em parceria da Type-Moon (série Fate/Stay Night original, Tsukihime), Nitroplus (Chaos;Head, Steins;Gate) e a ufotable (Kara no Kyoukai, Tales of Symphonia), e nem precisa falar que essa parceria deu MUITO certo.

Frente

Parte de trás
Teve também o pôster dos Vocaloids que eu tive que comprar como fã ávido que sou. A foto só do pôster não deu muito certo porque o flash refletia nele e tirando sem flash de perto ficava muito estranha a imagem, mas o pôster em si é bem bonito. Na verdade mesmo, era pra eu comprar o pôster na Nymph (a menina de cabelo azul de Sora no Otoshimono) numa pose super moe, mas quando fui voltar para comprar já tinham levado...tô triste até hoje por ter perdido a chance >,<.

Depois, vem as coisas que eu consegui de graça... afinal, sempre tem que ter coisas de graça. O colar de Rosario Vampire foi na sorte mesmo porque eu ganhei num sorteio da caravana. Eu nunca vi nada da série, mas o colar até que é bem feito. Teve a placa da Level Up, que consegui apenas dando o nome pra um carinha que tinha lá, alguns marcadores de livro que ganhei nas minhas compras, CDs de jogos e um...álbum de figurinhas... nem da copa do mundo eu compro mais, quem me dera se eu fosse colecionar do homem aranha >.>
O colar que eu falei
"Quanto você gastou com tudo isso?"
Só em mangá deu pouco mais que 90 reais (R$24,90 pelo Summer Wars, R$41,50 pelo Code Geass e R$8,70 nos demais, ou seja, tudo deu R$92,50), a camiseta do Fate/Zero deu R$25,00, o pôster deu R$8,00... e só, já que eu não gastei um centavo com comida lá dentro. Tudo deu R$125,50 e foram boas compras. Claro, poderia ter gastado muito mais que isso se pudesse, como a série completa de Elfen Lied, que são 12 volumes e num dava nem 100 reais, e uma figure da Miku que, ou eram muito pequenas e custavam 40~50 reais no mínimo, ou então eram aquelas 1/8 que custavam mais de 300 conto. Fora isso, voltei pra casa praticamente zerado também, tanto no money quanto na conta bancária... pelo visto vou ter que economizar bastante almoço até a próxima edição para não ter absolutamente nenhum arrependimento.



E como prometido, as fotos dos cosplays mais da horas que tinham lá e de algumas fotos do evento. Não deu pra tirar foto de tudo, pois tinha uns bem legais fora os que fotografei, mas enfim, os que estão aqui valiam a pena. Só não ligue muito para a qualidade das fotos porque foto de celular de pobre...já viu...

Cosplays do Ichigo com máscara de Hollow e... Kuchiki Byakuya?
Aqui era a sala de jogos. Todo mundo tinha um 3DS e Pokemon White/Black... uau
Não sei porque eu tirei essa foto, mas sei lá. Foi umas das cosplayers de Naruto feminina mais bonitas.
Se não me engano era a sala de K-Pop. Os mais corajosos dançavam e cantavam.
Aqui era a sala de cosplay. Não podia tirar foto, mas se fosse cobertura do evento podia filmar, né? Humph!
Era uma personagem de Soul Calibur, só me escapou o nome agora.,, mas era bem feito mesmo.
Não me lembro do Krauser do Resident Evil 4 ter arco e flecha, mas até a cicatriz ele tinha no cosplay!
Não dá pra ver direito por causa da muvuca, mas eram cosplayers de personagens do One Piece. Eu só reconheci o Ace de lá xP
A entrada principal do evento. Sempre tinha um cosplayer foda lá na frente com dúzias de pessoas tirando foto, fora o movimento da Level Up e do trânsito do pessoal.
Team Natsu, de Fairy Tail. Só faltou a Lucy na foto na equipe (e o Jellal de Robert ali), mas ô como tinha Lucy por lá...
Eu...não conheço essa série, mas valeu a foto.
Gasai Yuno e Akise Aru. Pô, e cadê o Yukiteru?
Os Vingadores mais bem-feitos do evento. Pena que faltou o Hulk e o Homem de Ferro ;(
É o... é o....ah, aquele carinha do Final Fantasy VII Crisis Core.
Black Rock Shooter. Ficou mega foda o cosplay. Tão boa que o meu celular teve que piorar a foto.
...Alguém sabe de onde que é isso?
Cosplay da Akemi Homura. Podia ser melhor, mas só pela bazuca e pelo uniforme valeu a pena.
Uma das Hatsune Miku mais bem feitas do evento... haoo, omochikaeri shitai~!!
Não dá pra ver direito, mas o cosplay do Bickslow tava muito bom, até tinha o brasão da Fairy Tail na língua.
Pois é, e isso encerra o especial do blog sobre o evento. Provavelmente estaremos em mais eventos como esse, e pode ter certeza que postarei minhas coberturas aqui. Pra quem tiver interesse em participar com a gente, dá um toque pra mim que a gente pode até pensar em fazer mega produções e coberturas dos próximos eventos... vai ser fodástico!

Até a próxima!
Out.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Anime Friends - A Zero Force Esteve Lá!


É pessoal, por qual outro motivo eu ia ficar sem postar alguma coisa no blog (não estando com preguiça)?

Como deve ter notado pelo título, não foi só "eu" que fui no evento. Contei com a participação especial do membro da nossa equipe da Zero Force Translations, o VictorLighty (Lighty). Foi muito bacana ter encontrado alguém do grupo (e aliás, o único) pra bater um papo e ficar gritando BLASTOISE no evento xDD.

Pessoal, eu ia postar as fotos que eu tirei do evento e o que eu comprei, mas como meu celular foi para o submundo dos eletrônicos, provavelmente farei isso num post separado. Hoje, estarei postando apenas o que eu achei do evento, já que é a primeira vez que eu vou, postarei o que achei do evento e algumas dicas que acho que vale a pena escrever antes de ir ao evento (ou também, dicas gerais para todos os eventos).

Eu fui apenas no domingo, o último dia do evento, e como era de se esperar, estava bem cheio. Talvez nem tanto na parte da manhã, mas mais pro final do evento ficou BEM lotado. Apesar disso, eu achei o local grande sim, talvez nem tanto para não haver possíveis "congestionamentos" uma hora ou outra, mas tinha inúmeras salas de tudo quanto é tipo de tema, desde as clássicas salas de cosplay e animekê até salas sobre conteúdo yaoi/yuri e até mesmo uma sala sobre coisas medievais (não, não tinha uma sala de visual novels... buá). Confesso que, mesmo estando o dia inteiro lá dentro, nem deu tempo de ver tudo, mas não me arrependo de nada, já que aproveitei pra caramba o evento, comprei praticamente tudo o que queria comprar e até deu um espaço para divulgação do blog >o<


Os cosplays que eu vi lá eram muito bons também, talvez uns nem tanto, mas a grande parte era cosplay muito parecido com as personagens dos animes e dos mangás. A maior parte eram cosplays clássicos como Naruto, personagens da Akatsuki, Fairy Tail e Hatsune Miku (apesar de poucos serem bons o suficiente), mas vira e mexe achava cosplays bem raros como a da Kyou de Clannad, Black Rock Shooter e da Akemi Homura de Mahou Shoujo Lyrical Madoka.

Sobre a área de estandes, lá é o paraíso de consumo de todo o otaku nerd gordo capitalista, porque, se você tiver dinheiro, você vai encontrar tudo o que você quiser. Desde buttons e chaveiros das séries de animes até figures e figmas de 16cm pra mais, de mangás que saíram de linha há muitos anos por 3 reais até réplicas >em tamanho real de espadas e zanpakutous (as espadas dos shinigamis de Bleach) para cosplayers. A lista vai e poderia facilmente mencionar o que vale a pena comprar ou não, mas uma coisa é certa: você VAI achar o que procura, e mesmo se acontecer de não achar, os pedidos de encomenda bombam por lá, além de que a maioria do pessoal tem a sua própria loja digital para divulgar e vender seus produtos.

Eu queria falar mais uns 5 parágrafos sobre o que eu achei do evento, mas prefiro guardar para um breve, futuro post. Até lá, uma coisinha mais importante: Dicas para aproveitar ao máximo o evento:

   1) Não seja cagão. Traga dinheiro na mão.
Apesar de várias estandes aceitarem cartão de crédito/débito, você pode se encontrar numa situação triste onde o cara não aceite cartão pra vender alguma coisa para você. Eu recomendo levar bastante dinheiro, uns 150~200 conto no mínimo pra aproveitar bastante o evento e não ficar com raiva do dinheiro não ter dado. Além disso, ter dinheiro na mão influencia muito numa técnica que eu passarei para vocês.

   2) Pesquise preço, antes e durante o evento.
Isso vale para qualquer lugar que você vá, e vale aqui também. As estandes de camisetas, acessórios e figures tem aos montes no evento, por isso, tente reservar uma hora ou duas para pesquisar preços antes de comprar. Só para efeito de exemplo e experiência própria, eu vi colares temáticos de vários animes em uma loja por 13 reais, enquanto não muito longe dali vendia os mesmos colares por 8 reais, 2 por 15. Para camisetas, eu vi estandes vendendo por absurdos 40 reais uma camiseta do evento, enquanto outras vendiam por 25/20 reais. Sobre figures, por serem difíceis de achar, é mesmo tentador ver uma figure que você queira e não comprar, mas tente antes do evento pesquisar por lojas virtuais, mercado livre e comunidades do orkut (se é que alguém ainda usa isso) para ter uma noção de preços. Se você considerar importação, a Amazon vende coisas que, mesmo se cair na alfândega, vai sair mais barato que o brasileiro e até com melhor qualidade.

   3) Negocie!
Um suposto e possível evento (e real se eu tivesse o dinheiro): Eu vi uma figure da Hyuugu Rena por 110 reais, bem feitinho, na caixa e tudo mais. Olhe para a figure bem sério, contendo a emoção de finalmente encontrar a figure, pergunte quanto que é (mesmo se já tiver escrito na figure), peça pra dar uma olhada na caixa, enrole um pouco, tire 2 notas de 50 conto da sua carteira e fale "Putz, eu só tenho 100 conto. Num tem como fazer pra mim?" ou algo parecido, e mostre as notas sutilmente para ele. É tiro e queda. Se mesmo assim não der certo, faça a famosa pergunta "Mas à vista tem desconto, né?" ou se aceita o desconto se pagar no cartão. Se mesmo assim não funcionar, dê uma volta (figures são bem difíceis de vender, geralmente) e volte depois de uma hora ou duas e repita o procedimento. Você vai conseguir negociar, pode ter certeza. Só não recomendo essa tática para lojas grandes (como a Comix por exemplo) pois geralmente você já acha o que quer mais barato, e para objetos que são de "fácil acesso ao público" (vulgo produtos baratos) pois tudo o que é barato acaba rápido, além de não conseguir um bom desconto com isso.

   4) Se você não tiver pressa...
No final do evento, muitas coisas costumam ficar mais baratas, ou são mais propícias à negociação que citei anteriormente, justamente para esvaziarem os estoques das estandes. Se o que você quer tem em estoque e você quer dar uma volta antes de comprar, ou se não tem certeza se vai comprar ou não, espere. Só não vá desperdiçar a chance única de comprar um determinado produto que só tem um para depois voltar e não achar mais ele. Com figures, dificilmente isso acontecerá, mas com pôsters (que foi o meu caso), DVDs de séries de anime e alguns bottons/chaveiros raros, as chances de outra pessoa comprar vai ser maior. Tome cuidado também pois certas lojas fecham antes das outras. O ideal é terminar de fazer todas as suas compras até às 17~18 horas no máximo para não correr riscos desnecessários.

   5) Seja um farofeiro.
Comidas e bebidas não têm preços lá tão exorbitantes, mas pra que gastar dinheiro com comida sendo que você pode gastar com mais mangás/pôsters/camisetas? Pagar 3 conto por um refri e 3~4 conto num salgado é, digamos, o que se espera de um evento assim, ainda mais em São Paulo, mas que dá pra economizar bastante. Traga alguns pães, salgadinhos, bolachas ou outras coisas para comer e uma garrafinha de água que isso será o suficiente. Os guardas deixam passar coisas assim (exceto se você levar talheres, porque garfos e facas podem ser barrados) e há vários bebedouros pelo local. Só coma lá se você estiver com desejo por comer uma determinada comida, ou se estiver morrendo de fome mesmo. Para se ter uma idéia, eu gastei 7 reais com comida que eu comprei antes >e ainda sobrou pra volta pra casa.

   6) Saiba se divertir e divirta bastante!
Não adianta nada ir lá só para fazer as compras, o que vale mesmo é aproveitar. Se tiver algum amigo pra ir junto, melhor ainda. Tire fotos das meninas e grupos de cosplay, faça zueiras nas enquetes, grite qualquer baboseira que vier na cabeça perto de um cara concentrado, puxe assunto na fila de alguma sala, estande ou loja... Claro, só não faça o que você pode se arrepender por ser de mal gosto/ algum segurança desconfiar, mas fora isso, fazer coisas assim anima bastante a sua experiência. Se possível, trazer um 3DS ou um PSVita para jogar online com o pessoal do local também é uma boa pedida, e entrar nas salas com atividades em equipe podem render alguns amigos.

   7) Se for de cosplay, incorpore o personagem.
Tinha MUITA gente de cosplay por lá, mas é uma pena que, apesar de ter uns que realmente fizeram de tudo para ficar bonitos e parecidos com o anime, tinha uns que não deram muito certo. Se for menina, tente perder uns quilos antes de incorporar a personagem e capriche na maquiagem. Já vi a Shura de Ao no Exorcist que era extremamente fiel, mas que se não fosse o emblema da barriga tremendo com a gordura ela seria perfeita. Eu sei que acessórios e roupas para cosplays são uma verdadeira facada no bolso do cidadão, mas sempre dá pra dar um jeitinho brasileiro e aliviar alguns custos, alguns até escritos em blogs e fórums americanos de cosplayers, dando dicas gerais e específicas para montar o equipamento e uniforme e até desenhos prontos de softwares de design como Pepakura. Talvez se comportar igual o personagem seja difícil, mas a aparência é o ponto principal de um bom cosplay


Bem pessoal, estou muito cansado hoje, e por isso não teremos notícias por hoje. Amanhã, o blog volta ao normal e não esquecerei do post que prometi aqui ^^

Até lá!
Out.